Ramos de Cultura

Arquivo para a tag “Duchamps”

Por que a Beleza Importa – tudo é arte e nada é arte? (Parte 7 – Final)

(Cont) Roger Scrutton

E sobre as coisas que não são trágicas, mas apenas sórdidas ou depravadas, Pode a arte encontrar beleza nelas? Esta pintura de Delacroix, nos mostra a cama do artista, em toda a sua sórdida desordem. Ele imprime beleza em algo que não a possui e transmite um tipo de bênção em seu próprio caos emocional. Delacroix diz: “Veja como estes lençóis relembram os pesadelos e a energia atormentada da pessoa que estava nela e como as luzes capturam isto, como se ainda estivessem animadas pelo dormente” A cama é transformada pelo ato criativo e se transforma em um vívido símbolo da condição humana, que estabelece uma ligação entre nós e o artista.

Delacroix

Delacroix

Leia mais…

Anúncios

Por que a Beleza Importa – tudo é arte e nada é arte? (Parte 1)

Olá galera, trago aqui a transcrição de um documentário sensacional a respeito da Beleza 😉 inclusive sanou muitas dúvidas minhas a respeito do que é arte. Nascemos em um período tão louco que desde o berço aprendemos o ERRADO como se fosse CERTO. Lembro que no documentário do Banksy ele levantava essa questão o que é arte? Quem pode criar?  E o filósofo deste documentário responde tintin por tintin e pronto! As escamas caem dos nossos olhos 😀

Detalhe: Venus de Botticelli

Detalhe: Venus de Botticelli

Este documentário foi dirigido pelo filósofo inglês Roger Scruton – um dos mais importantes intelectuais conservadores da Europa – e veiculado pela BBC em 28/11/2009. Nele, de uma forma brilhante, instigante e muito elucidativa, o Professor Roger Scruton demonstra como a partir do século XX, perdendo o senso ético e estético de(a) Beleza, a humanidade afundou-se ainda mais no que ele chama, com inteira razão, de deserto espiritual. Tal deserto, indubitavelmente, é um dos frutos do ideal, soberbo e falacioso, da modernidade iluminista que assentiu que “o homem é a medida de todas as coisas“. Hoje, já na pós-modernidade da humanidade, já não há mais senso ético e estético de Verdade, de Bondade ou, como bem explica Dr. Scruton, de Beleza. As consequências disso? Muitas! Todas girando em torno do que no cristianismo se chama de “feiúra da alma” ou, nas palavras do filósofo inglês “a cult of ugliness”. Leia mais…

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: