Ramos de Cultura

Arte Bizantina – Ícones (parte I)

Bem estava meio sumido no blog, um deserto espiritual :/ tinha idéias porém não tinha ânimo para escrever pois não tinha a menor noção por onde começar a escrever sobre o algo extremamente amplo, rico, divino, lindo e tanto mais belos adjetivos 🙂 e pelo fato de sua grandiosidade seria covardia tentar resumir tudo em uma postagem, agora quantos eu irei escrever não sei rsrsrs venha junto comigo nessa saga acompanhado, interagindo e dando sugestões para crescermos todos juntos em sabedoria e espiritualidade!

"Nisto surgiu uma grande tormenta e lançava as ondas dentro da barca, de modo que ela já se enchia de água.Jesus achava-se na popa, dormindo sobre um travesseiro. Eles acordaram-no e disseram-lhe: Mestre, não te importa que pereçamos? E ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Silêncio! Cala-te! E cessou o vento e seguiu-se grande bonança. Ele disse-lhes: Como sois medrosos! Ainda não tendes fé?" Marcos 4, 37-40

“Nisto surgiu uma grande tormenta e lançava as ondas dentro da barca, de modo que ela já se enchia de água.
Jesus achava-se na popa, dormindo sobre um travesseiro. Eles acordaram-no e disseram-lhe: Mestre, não te importa que pereçamos? E ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Silêncio! Cala-te! E cessou o vento e seguiu-se grande bonança. Ele disse-lhes: Como sois medrosos! Ainda não tendes fé?” Marcos 4, 37-40

(ah só abrir um rápido parênteses – Muita gente e principalmente os historiadores e artistas modernistas malham a Igreja como retrógrada, conservadora e blábláblá e falam dos novos conceitos, quebras de paradigmas e rompimento do normal. O que temos hoje é uma desordem artística uns buscando na antiguidade afim de entender e se aprimorar e outros que se julgam acima da linha da verdade :/ aos que tacham a Igreja de atrasada não se lembram que diversos artistas renomados foram financiados pela mesma e fora o acervo que a Igreja preservou da Grécia antiga e estas obras nada tinha a ver com a Fé católica e ainda sim foram preservadas)

Então prosseguindo com o assunto o que os Ícones tema desta postagem tem de tão especial?

Os ícones representam a imagem do Invisível, mas como assim? São representações das magnificências misteriosas e sobrenaturais. O ícone não é resultado de uma impressão do artista; ele é fruto de uma tradição e, antes de ser pintado, é uma obra profundamente meditada, pacientemente elaborada por gerações de pintores, nele vem representado não aquilo que o pintor tem diante dos olhos, mas certo protótipo a que ele deve ater-se. A veneração dos ícones deriva da veneração do protótipo. Os ícones são beijados; através deles esperam-se curas; são venerados, porque são representações de Cristo, da Virgem Maria, dos Santos. Os ícones entram no ofício litúrgico. A iconografia é, de certo modo, uma arte ritual. A reverência devida ao ícone e a sua criação foram rigidamente regulamentadas pelo VII Concílio Ecumênico. Os eclesiásticos consideravam-se verdadeiros criadores de ícones e os artistas eram tidos como realizadores das idéias deles» (pp. 7-9). [1]

Imagem do invisível

Imagem do invisível

E o que significa Ícone?

A palavra ” ícone” deriva do termo grego «eikón», que significa genericamente «imagem». Todavia, na história da arte e também na linguagem comum, a palavra ícone é reservada a uma pintura, geralmente portátil, de gênero sagrado, executada sobre madeira com uma técnica particular, e segundo uma tradição transmitida pelos séculos. A pátria do ícone é o Oriente bizantino que, com desvelo, conservou obras-primas artísticas de grande valor espiritual que chegaram até nós.

Os ícones representam Jesus Cristo, a Mãe de Deus, os anjos, os santos e outros temas religiosos, mas o ícone é muito mais do que uma simples figuração; somente o acontecimento da Encarnação de Nosso Senhor o tornou possível. [2]

Ícone

E o que a Igreja diz a respeito dos mesmos e das imagens sacras?

I.1.1 Contemplação do ícone

§1162 “A beleza e a cor das imagens estimulam minha oração. É uma festa para os meus olhos, tanto quanto o espetáculo do campo estimula meu coração a dar glória a Deus.” A contemplação dos ícones santos, associada à meditação da Palavra de Deus e ao canto dos hinos litúrgicos, entra na harmonia dos sinais da celebração para que o mistério celebrado se grave na memória do coração e se exprima em seguida na vida nova dos fiéis. [3]

§1192 As santas imagens, presentes em nossas igrejas e em nossas casas, destinam-se a despertar e a alimentar nossa fé no mistério de Cristo. Por meio do ícone de Cristo e de suas obras salvíficas, é a ele que adoramos. Mediante as santas imagens da santa mãe de Deus, dos anjos e dos santos, veneramos as pessoas nelas representadas.

"Eu vi descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, a nova Jerusalém, como uma esposa ornada para o esposo." (Apocalipse 21,2)

“Eu vi descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, a nova Jerusalém, como uma esposa ornada para o esposo.” (Apocalipse 21,2)

I.1.3 Significação do ícone

§1161 Todos os sinais da celebração litúrgica são relativos a Cristo: são-no também as imagens sacras da santa mãe de Deus e dos santos. Significam o Cristo que é glorificado neles. Manifestam “a nuvem de testemunhas” (Hb 12,1) que continuam a participar da salvação do mundo e às quais estamos unidos, sobretudo na celebração sacramental. Por meio de seus ícones, revela-se à nossa fé o homem criado “à imagem de Deus” e transfigurado “à sua semelhança”, assim como os anjos, também recapitulados em Cristo:

Na trilha da doutrina divinamente inspirada de nossos santos Padres e da tradição da Igreja católica, que sabemos ser a tradição do Espírito Santo que habita nela, definimos com toda certeza e acerto que as veneráveis e santas imagens, bem como as representações da cruz preciosa e vivificante, sejam elas pintadas, de mosaico ou de qualquer outra matéria apropriada, devem ser colocadas nas santas igrejas de Deus, sobre os utensílios e as vestes sacras, sobre paredes e em quadros, nas casas e nos caminhos, tanto a imagem de Nosso Senhor, Deus e Salvador, Jesus Cristo, como a de Nossa Senhora, a puríssima e santíssima mãe de Deus, dos santos anjos, de todos os santos e dos justos.

"É nele que todo edifício, harmonicamente disposto, se levanta até formar um templo santo no Senhor. "(Efésios 2,21)

“É nele que todo edifício, harmonicamente disposto, se levanta até formar um templo santo no Senhor. “(Efésios 2,21)

I.1.4 Utilidade dos ícones

§2705  A meditação é sobretudo uma procura. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã, a fim de aderir e responder ao que o Senhor pede. Para tanto, é indispensável uma atenção difícil de ser disciplinada. Geralmente, utiliza-se um livro, e os cristãos dispõem de muitos: as Sagradas Escrituras, especialmente o Evangelho, as imagens sacras, os textos litúrgicos do dia ou do tempo, os escritos dos Padres espirituais, as obras de espiritualidade, o grande livro da criação e o da história, a página do “Hoje” de Deus. [4]

"Por isso penso em edificar um templo em nome do Senhor, meu Deus. O Senhor, com efeito, falara disso a Davi, meu pai, nestes termos: Teu filho, que eu farei sentar em teu lugar no trono, este edificará um templo em meu nome." (I Reis 5,5)

“Por isso penso em edificar um templo em nome do Senhor, meu Deus. O Senhor, com efeito, falara disso a Davi, meu pai, nestes termos: Teu filho, que eu farei sentar em teu lugar no trono, este edificará um templo em meu nome.” (I Reis 5,5)

Bem, falta falar muito sobre os ícones como o significado das cores, gestos e outras coisas que ficará para os próximos posts 😉

Se você leu tudo até o final, muitíssimo obrigado e deixe SEU COMENTÁRIO! u.u rsrs

Notas

[1] Os ícones – Imagens do invisível. Irmã Maria Donadeo

[2] http://www.ecclesia.com.br

[3] http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/h/i.html#imagens

[4] http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/h/icone.html#icone

Imagens

https://www.google.com.br/

http://ikonograph.blogspot.com.br/

http://www.ikonograph.com/murals.html

Anúncios

Navegação de Post Único

5 opiniões sobre “Arte Bizantina – Ícones (parte I)

  1. Olá, parabéns pelo blog. Muito interessante o post. Vou ficar esperando os próximos.

  2. Essa última foto é simplesmente linda!! Fica onde essa igreja???

  3. Maria Jovita em disse:

    É simplesmente maravilho conhecer e fazer parte da Igreja Católica Ortodoxa, minha igreja.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: