Ramos de Cultura

Arquivo para o mês “março, 2012”

As paisagens de Dmitri de Igatu

Bem, é Dmitri mesmo (‘D” mudo, continuando). o artista plástico e visual Dmitri de Igatu permeia por várias áreas das artes como a street art, o hiper realismo, stencil grafite, arte digital, vídeo, fotografia,a pintura mural, pintura cavalete, intervenção urbana,apropriação de imagem, arte contemporânea, conceitual e experimental, diante das multi possibilidades da arte Dmitri desenvolve seu trabalho utilizando todas estas vertentes transformando seus pensamentos em arte.  

Artista por vocação, atingiu um nível peculiar na pintura, utilizando a observação na natureza em toda a sua amplitude da paleta de cores e luzes únicas da Chapada Diamantina – BA, como motivo maior da sua expressão artística. A relação com esse lugar,mais precisamente Igatu,onde fundou sua base,ocorreu desde 2002. Dmitri está em total sintonia com a região, seja com os elementos da natureza, seja com o seu povo, onde alimenta a inspiração para retratar nas suas pinturas , as riquezas e belezas cênicas dos chapadões, morros,vales, rios e cachoeiras que permeiam toda a Chapada Diamantina. Anos e anos vivendo em Igatu uma pequena vila com aproximadamente 360 habitantes localizada na serra do Sincorá,  Dmitri pode transpor pro seu trabalho todo o seu cotidiano, seja nas pequenas e singelas coisas ou seja na imensidão dos vales verdejantes, dos paredões onde águas despecam e de infinitas paisagens da Chapada.
Atualmente o artista tem criado um elo entre os seres urbanos e suas “raízes”, a sua “essência” levando imagens da natureza para grandes centros urbanos, seus trabalhos de arte urbana podem ser vistos nas ruas de Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro, nesta última Dmitri vem produzindo trabalhos públicos desde de 2008, em 2010 fez seu primeiro trabalho 3D no muro do Jóquei Clube na Gávea.

by Dmitri de Igatu

Imagem Leia mais…

Anúncios

Agência de propaganda católica? Sim, existe!

Conheça a God Beat Art, a Agência de Criatividade Católica que tem o propósito de profissionalizar a comunicação na Igreja por meio de um trabalho guiado pelo Espírito Santo.

A God Beat Art é uma empresa de comunicação católica e seus trabalhos são guiados pelo amor e pela fé, os dois caminhando juntos guiados pelo Espírito Santo. “Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, pelo sopro de sua boca tudo quanto os enfeita”. O Pai, neste versículo do Salmo 33, deixa bem claro que toda a arte e criação provêm do sopro da sua boca, ou seja, da ação do Espírito Santo de Deus, o qual pairava sobre as águas desde o Gênesis. E por que não se utilizar dessa inspiração vinda do Criador para instituir uma comunicação inovadora e profissional dentro da amada Igreja Católica Apostólica Romana, esposa de Jesus Cristo e herdeira da missão evangelizadora?

Isso me faz lembrar a célebre frase de Confúcio:

“Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.”

 

Leia mais…

Os sensacionais Livros esculpidos

Guy Laramée é um artista interdisciplinar, versátil, criativo e vai por aí…que, no decorrer de seus 30 anos de prática, encontrou seu caminho através de disciplinas variadas e numerosas como: escrever palco, dirigir estágio, escrever música contemporânea, design e construção de instrumentos musicais, canto, vídeo, cenografia , escultura, instalação, pintura e literatura.

Guy recebeu mais de 30 bolsas e foi concedido pelo Conselho do Canadá para as artes do Joseph S. Stauffer que é o prêmio para a composição musical.

Seu trabalho tem sido visto e ouvido no Canadá, Estados Unidos, Bélgica, França, Alemanha, Suíça, Japão e América Latina.

Abaixo estão algumas fotos de 2 de seus trabalhos chamados de: The Great Wall e Biblios.

Nestes trabalhos, ele utiliza livros e bíblias respectivamente, para criação de paisagens que tem relação com o tema e transforma pilhas de velhos livros em  obras de arte.

Caso queria visualizar mais trabalhos deste artista, acesse seu site pessoal e veja além destas, mais algumas artes extraordinárias: www.guylaramee.com

ImagemImagem

Leia mais…

O colorido de Shaka

Trago para vocês o artista que muitos desejam saber quem é ao ver seu trabalho sendo compartilhado no facebook e ficamos nos perguntando “Quem fez? Da onde é?”. Ele é francês, conhecido como Shaka (Mithouard Marchal) que explora uma variedade de técnicas de arte, como pintura, escultura, graffiti, fotografia, tatuagem, e muito mais. Seu trabalho combina imagens bidimensionais com formas tridimensionais onde criatividade, perícia técnica e a rebeldia de street arte chegam a um novo nível que nos fazem suster a respiração. Inclusive já deu uma passada no Brasil e fez um trabalho bacana em Macaé.
Vale a pena ver o trabalho desse gringo com calma.
Shaka in Macaé.
Imagem

São Francisco de Assis e São Domingos de Gusmão

Bem amigos esta é uma das mais belas citações a respeito de dois Santos incomparáveis dos quais sou devoto e muito tenho a aprender. Cujo quais são até mesmo  respeitados pelos irmãos protestantes, onde alguns  fazem o voto de simplicidade em respeito pelo mesmo.

São Francisco de Assis e São Domingos de Gusmão


Texto extraído da Divina Comédia de Dante Aligheri, Paraíso, Cap Xl.

“À esposa d’Esse que, entre altos brados, na cruz lhe deu o bento sangue em penhor de união, foram dados pela Providência, a fim de lhe robustecer-lhe o ânimo e a fé, dois príncipes (São Domingos e São Francisco de Assis) que a seguissem por toda parte em todas as circunstâncias. Um deles guardou sempre o amor seráfico em relação a ela. O outro por seu saber, espalhou pela terra querúbica fama e glória. Falar-te-ei apenas de um deles, dado que louvar a um é louvar a ambos, pois os dois perseguiram o mesmo ideal.
[…]

No ponto onde tal encosta mais se acentua (Assis), nasceu para o mundo um sol que brilha tanto quanto aquele contemplado pela gente de junto ao Ganges.

Quem pretender daquele lugar dizer o nome, não o convoque unicamente por Assis, pois estará dizendo pouco; chame-o oriente, que é berço do Sol. Não havia ainda essa luz se afastado bastante de seu nascimento quando já a Terra começou a receber o conforto de suas altas virtudes. Muito jovem entrou em conflito com o pai por amor daquela dama (a pobreza) à qual, assim como à morte, ninguém abre a porta com prazer. Então, na corte episcopal, em presença de seu genitor, recebeu tal dama por esposa amada e votou-lhe, desde aí, amor sempre mais forte. Viúva (o primeiro “esposo” da pobreza foi Cristo) e desprezada viveria ela onze séculos, e mais ainda, sem que por outro amado fosse requestada… Também não é o mesmo proclamar que ela própria, fiel, íntegra, enquanto Maria permancera ao pé da cruz, subira com Cristo para o alto do Madeiro.”

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: